LIPEDEMA

LIPEDEMA

Lipedema é uma doença genética, que ocorre mais comumente em mulheres, sendo raro nos homens.

 

QUADRO CLÍNICO

É uma desproporção simétrica do acúmulo de gordura nos membros inferiores, depositado principalmente acima dos tornozelos e ao lado dos joelhos.

O início do quadro ocorre na puberdade ou jovem adulto, frequentemente associado à obesidade. Além disso, pode estar associado ao linfedema e à insuficiência venosa crônica.

Pode apresentar também hematomas ou equimoses, sem causa aparente, ocorrendo por fragilidade capilar.

Muito comum também observar celulite à compressão das gorduras localizada, além de dor local.

 

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

O principal diagnóstico diferencial é com o linfedema, que é um acúmulo de linfa nos membros inferiores, que também pode ocorrer nos superiores, causando inchaço. Pode existir como má formação congênita, após erisipelas de repetição ou após alguns procedimentos cirúrgicos, como esvaziamento ganglionar como complemento da retirada da mama por câncer.

Linfedema: inchaço em um dos membros, não possui sensação de dor à compressão local e o inchaço está presente no peito do pé, inclusive dedos.

Lipedema: edema simétrico em ambos os membros, com dor à compressão local e pés poupados do inchaço.

 

TRATAMENTO

Não tem cura, mas tem controle. Não é só obesidade, portanto não adianta apenas orientar a perder peso e fazer atividade física. Só isso não vai resultar em melhora do quadro, o que pode desestimular de qualquer tratamento. Inicialmente, consiste em drenagem linfática manual, terapia compressiva orientada e acompanhada por profissional preparado, exercícios físicos (atividades na água, yoga, pilates) e cuidados com a pele.

Como tratamento coadjuvante, dietas orientadas, pela doença estar ligada à obesidade, como comentado anteriormente.

Quando o lipedema é tratado na fase inicial, a regressão do quadro é muito satisfatória. Nas fases mais avançadas ou nos quadros que não melhoraram com este tratamento, a lipoaspiração pode ser indicada para o controle do lipedema.

O importante é fazer o diagnóstico o mais precoce possível e não menosprezar essa doença com tratamentos ineficazes, que podem levar à depressão, necessitando de um suporte psicológico.


Linfedema

 lipedema